Em parceria com a Casa da Cidadania, Setre vai oferecer qualificação profissional a jovens por meio do Programa Trilha

Visando minimizar as desigualdades sociais evidenciadas em maior proporção desde o início da pandemia da Covid-19, a Casa da Cidadania em parceria com a SETRE, está realizando cursos de qualificação social e profissional de 260 jovens, de 16 a 29 anos, em situação de vulnerabilidade social, por meio do Programa Trilha. O projeto visa não somente a preparação para o mercado de trabalho, mas também uma formação ampla preocupada com a integralidade dos jovens, de maneira a contribuir para a formação de cidadãos efetivamente capazes de utilizar aquilo que aprenderam em prol da construção de uma sociedade mais justa, solidária e economicamente desenvolvida.

As ações do programa Trilha estão sendo desenvolvidas na região Sul do Estado, mais precisamente em Ilhéus e Itabuna, e na região metropolitana de Salvador, por meio da oferta de treze cursos, dentre os quais, pode-se mencionar: Atendente de Farmácia, Auxiliar Administrativo, Camareira, Eletricista de Instalações Prediais e Estamparia de Tecidos com Técnica de Silk Screen e Design Gráfico, no município de Ilhéus; Corte e Costura, Cuidador de Idosos e Web Design no município de Itabuna; Operador de Produção, em Camaçari / Arempebe; Mecânico de Manutenção e Instalação de Aparelhos de Climatização e Refrigeração, no município de Simões Filho; e Eletricista de Manutenção Eletroeletrônica, Soldador e Mecânico de Manutenção e Instalação de Aparelhos de Climatização e Refrigeração, no município de Salvador.

“A Casa da Cidadania acredita que a educação social e profissional tem papel essencial na promoção do crescimento econômico de um país e contribui para a redução da pobreza, assim como garante a inclusão social e econômica de comunidades marginalizadas. Nesse sentido, oportunizar cursos de formação inicial e continuada que garantam perspectivas de trabalho para os educandos e facilitem seu acesso ao mercado; que atendam, também, os profissionais que já estão no mercado, mas sentem falta de uma melhor qualificação para exercerem suas atividades, e, ainda, sejam um instrumento eficaz na reinserção do trabalhador no mercado de trabalho, é um ponto importante em sua atuação”, afirmou Jeferson Coelho, coordenador geral de cursos do Instituto.

Diante de tais contextos socioeconômicos dos Territórios de Identidade e alinhado às demandas dos setores produtivos apurados nesses territórios, verifica-se a importância do desenvolvimento de cursos de qualificação para a população economicamente ativa dos municípios englobados, contribuindo para a vida produtiva de jovens e adultos, fazendo-os desenvolverem alternativas que acelerem e proporcionem crescimento econômico das duas regiões listadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.